lccomunic
 

(55) 99613-0941 Whats / Telegram

Deseja receber novidades da web e da LC ? Então faça parte da nossa lista VIP

* campo obrigatório
Respeitamos sua privacidade, seu cadastro poderá ser removido a qualquer momento.

Notícias

Novidades na web, tecnologia e informativos da LC

Novidades da web / Publicado dia 22/02/2017 as 15:02 Hrs.

Agentes de saúde poderão receitar aplicativo para prevenir gravidez

A empresa alemã de certificação Tüv Süd aprovou recentemente o aplicativo Natural Cycles como ferramenta de prevenção de gravidez e planejamento familiar.

Essa certificação da empresa significa que o aplicativo poderá ser receitado por médicos e órgãos de saúde pública como método contraceptivo.

 

É a primeira vez que um aplicativo recebe uma certificação desse tipo. O Natural Cycles está disponível tanto para iOS quanto para Android, inclusive no Brasil (embora ainda não se saiba se a certificação da Tüv Süd permite que ele seja receitado por aqui). Ele já possui mais de 100 mil usuários que, de acordo com a Wired, pagam £ 7 (cerca de R$ 27) por mês para usá-lo.

 

 

Funcionamento

 

Desenvolvido por dois físicos suecos, o aplicativo mede a fertilidade de mulheres por meio da temperatura corporal. As usuárias tiram sua temperatura e informam os resultados diários ao aplicativo, que então indica quando seria possível fazer sexo desprotegido sem risco de gravidez. Os dias em que isso é possível são marcados no calendário do app em verde; os dias em que há risco de gravidez são marcados em vermelho.

 

Isso é possível porque, após a ovulação, os níveis de progesterona no corpo das mulheres aumenta, e isso faz com que sua temperatura corporal aumente até 0,45 ºC. A mulher tem maior probabilidade de engravidar caso faça sexo sem proteção nos dias anteriores à ovulação, ou durante o processo. Assim, monitorando a temperatura corporal da mulher, o aplicativo conseguiria prever quando há maior risco. Um vídeo mostrando o funcionamento do app pode ser visto abaixo:

 

 

 

 

Criação e testes

 

Uma das criadoras do aplicativo, Elina Berglund, trabalhava no CERN, o instituto de pesquisas nucleares europeu que confirmou a existência do Bóson de Higgs - Berglund, aliás, era parte da equipe responsável por essa realização. "Eu queria dar ao meu corpo uma folga da pílua [anticoncepcional], mas não consegui encontrar nenhuma boa forma de contracepção natural, então criei um algoritmo para mim mesma", disse em entrevista à Wired.

 

Para receber a certificação, o Natural Cycles precisou revelar todos os detalhes de seu funcionamento à Tüv Süd, e teve que divulgar os resultados de alguns testes clínicos. Um deles analisou a eficácia do aplicativo em mais de 4.000 mulheres com idades de 20 a 35 anos. Ao longo de um ano de estudo, as mulheres tiveram 143 gravidezes indesejadas, dez das quais ocorreram em "dias verdes". Esse resultado deu ao aplicativo uma taxa de eficácia de 99,5% - a mesma taxa de pílulas anticoncepcionais.

 

Cuidados

 

Como o aplicativo depende de medições diárias de temperatura e não protege contra DSTs, porém, recomenda-se que ele seja usado ao lado de outros métodos contraceptivos. Segundo Raoul Scherwitzl, o outro criador do app (e marido de Berglund), "menos de 0,5% dos nossos usuários têm menos de 20 anos. Nós não temos dados sobre adolescentes e não divulgamos nosso produto para eles. Ele é voltado para mulheres em um relacionamento e que não estejam satisfeitas com seu método contraceptivo atual".

 

A professora de ginecologia e obstetrícia Kristina Danielsson, do Karolinska Institutet, na Suécia, considera que o aplicativo não é recomendado para pessoas "muito jovens ou muito interessadas em não engravidar, já que há outros métodos mais eficazes". Embora ele tenha eficácia semelhante à das pílulas anticoncepcionais, Danielsson ressalta que dispositivos intrauterinos e implantes são mais eficazes.

 

Fonte: https://olhardigital.uol.com.br/noticia/agentes-de-saude-poderao-receitar-aplicativo-para-prevenir-gravidez/66318 / Por GUSTAVO SUMARES / Foto: reprodução